sábado, 21 de janeiro de 2017

A sua meta está com tudo em cima?

Estar com tudo em cima para sua meta significa saber o que você quer e também poder lidar com obstáculos que surgem ao longo do caminho. Formular metas de vida é uma excelente atividade para progredir na vida. Mas, ter formulado uma meta não garante que vá realizá-la. É freqüente encontrar interferências. A Programação Neurolingüística, que estuda casos de sucesso em processos de mudança, localiza o que atrapalha e desenvolveu técnicas para superar cada tipo de interferência.
Metas mal-formuladas: Há vários equívocos comuns que as pessoas fazem na hora de formular uma meta. Um é formular a meta em linguagem negativa, "Não quero entrar em pânico cada vez que vou falar em público" em vez de dizer, "Quero acessar um confiança e fluência quando falo em público." Outro erro comum é formular a meta para outra pessoa, "A minha meta é meu filho passar no vestibular." A meta precisa ser algo a ser feito pela pessoa que está criando o objetivo, é algo que vai acontecer com ela própria. Outras metas são atraentes, mas provocam efeitos negativos não contemplados e a meta acaba não funcionando. São alguns exemplos de má-formulação. Tem vários "consertos" das metas mal-formuladas com as Condições de Boa Formulação da PNL.
Conflito: Conflito interno envolve "partes" internas em que cada parte quer algo diferente. Assim, é possível uma pessoa ter comportamentos aparentemente antagônicos e ficar frustrada, pois acaba não conseguindo nem uma coisa nem a outra. Criar uma meta pode nos por em conflito, quando por um lado, queremos a meta e por outro não quer. A negociação interna resolve o conflito através de um acordo ganha-ganha, que honra valores importantes envolvidos na questão. Um processo clássico de PNL que trata de conflitos internos é o "Squash Visual."
Bloqueios do passado: Uma pessoa pode querer e desejar uma meta atraente, mas experimentar uma sensação limitante que acaba criando comportamentos indesejados que atrapalham a realização de meta. Muitas vezes esta sensação limitante tem a ver com um aprendizado negativo "gravado" no passado, em uma época que faltava a percepção de hoje em dia e em que houve uma carência de capacidades internas . A PNL responde a este bloqueio usando processos de re-aprendizagem como "Mudança de História" e "Reimpressão."
Comparações que desanimam: Já a caminho da meta, uma pessoa pode começar a de desanimar quando foco tudo que ainda falta para conseguir o que quer, criando na sua mente um abismo entre onde está e onde quer chegar. Outra comparação que atrapalha e se comparar negativamente a outras pessoas, julgando-se muito inferior a aqueles outros que estão longe na frente. Em ambos os casos, a pessoa provoca em si mesma uma sensação de desânimo ou desesperança. A intervenção da PNL é de trabalhar dimensionando a meta em submetas e uma modelagem da excelência dos outros, em vez de se inferiorizar.
Falta de Convicção: Para se conseguir uma meta, é importante ter "As Cinco Convicções": 1) É desejável e vale a pena, 2) É possível realizar a meta, 3) Os comportamentos para conseguir a meta são apropriados, 4) Sou capaz de realizar a meta e 5) Eu mereço e sou responsável pela realização da meta. Uma falta de convicção em qualquer um dos itens citados compromete, até seriamente, o caminho de realização da meta. Para que uma pessoa possa adquirir a convicção sobre suas metas, é importante transformar crenças limitantes em crenças apoiadoras, através de técnicas como o 'Ciclo de Mudança de Crenças" e "Re-enquadramento de Crenças Limitantes".
Todas as interferências citadas aqui já foram superadas, com sucesso, por pessoas motivadas e persistentes. Melhor do que enfrentar tudo na marra, pode ser criar uma consciência mais específica do que está dificultando e ir com ferramentas apropriadas para chegar a objetivos desejados.
Escrito por Arline Davis

Quer tirar umas interferências do seu caminho? Pode fazer um trabalho de Coaching para ganhar recursos importantes para lidar com elas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário