quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Como Realizar os Sonhos

Sonhos?
Como realizar os Sonhos
Às vezes, quando vou à praia, passo algum tempo quieto sentindo a textura da areia em contato com a sola dos pés, e observando a belíssima paisagem ao redor. Será que todos ali fazem uma caminhada, praticam exercícios, observo casais a brincarem com os seus filhos. Será que todos contemplam o panorama com os mesmos olhos sempre alertas? Têm os mesmos pensamentos que de vez em quando me assaltam a mente?

As ondas, as rochas lá onde a praia faz curva, os navios à distância... tudo me parece sempre muito inspirador.
Penso, no entanto, que o estado de espírito de quem observa, é preponderante para que ele se sinta ou não tocado pela beleza do lugar. Todos os lugares são bonitos! Contudo escolhi a praia como o meu retiro de inspiração. E quando algum velejador cruza as vistas, aí sim, os pensamentos se multiplicam. Estariam estes pequenos velejadores prontos para conquistarem os seus sonhos?
Percebo que o velejador depende de algumas condições básicas do ambiente para ser bem-sucedido e alcançar o seu destino em sua trajetória sobre as águas do mar. O próprio oceano, e sua instabilidade ímpar, pode impor o sucesso ou fracasso do mareante. Sol escaldante, vento escasso ou incessante, chuva branda e tempestades: o bom velejador sabe se adaptar a toda e qualquer circunstância.
A vontade do velejador tem absoluto controle sobre os seus pensamentos, sentimentos e ações. E se a sua vontade determina que não serão as intempéries que o impedirão de executar excelente trajetória, realmente nada impedirá o mareante de ser bem-sucedido e chegar ao seu destino!
Já testemunhei pessoas realizarem feitos que os demais consideravam impossíveis – na verdade: mero fantasma de assustar gente grande. Isso porque não se deixavam abater pela primeira brisa que soprou em seus rostos. Não a transformavam em tempestades. Tinham total controle sobre suas emoções e escolheram não se deixar derrubar.
Compreender que somos nós quem decidimos ficar alegre, triste, deprimido, entusiasmado e por aí vai, é a chave mestra que abrirá qualquer porta que desejarmos abrir.
Se gasta até mesmo menos energia buscando a compreensão sobre nossa capacidade de controlar as emoções do que gastamos reclamando de limites, destino, azar... Optando pela alegria, pela ação ao invés da estagnação, por crenças libertadoras ao invés de limites irreais, haverá motivação para conquistar aquilo que os outros consideravam impossível.

Deixe abaixo o seu comentário:

Nenhum comentário:

Postar um comentário